segunda-feira, 17 de maio de 2010

Goles

A culpa dos conflitos de agora entre extremistas de todos os quadrantes da Terra é do Criador. Se ele tivesse inventado a comunicação por satélite em vez de descansar no sétimo dia, essa fase convulsiva da história já estaria encerrada, porque das duas uma: ou as tribos já teriam se estranhado tudo a que tinham direito e se acostumado com os usos umas das outras, superando os conflitos étnicos e religiosos e guardando as energias para brigar por dinheiro e suas metonímias; ou o mundo o já teria ido pelos ares (gulp!) e a gente nem teria nascido.
@@@
Alguns amigos defendem a ideia de não deixar os livros criarem poeira na estante. Acho muito simpática a ideia de agitar novos leitores, mas desisti de seguir as campanhas pela alta rotatividade dos livros. O máximo que consegui foi marcar um prazo de dois anos para os três que tenho preguiça de começar, mas que ainda não perdi as esperanças de ler; e para mais uns tantos que os outros acham que eu devia ler; ou mesmo uns três ou quatro que eu acho que teria obrigação de ler mas nenhuma vontade. Não são muitos, e se nenhum deles me vencer pelo cansaço, começarão a circular depois de esgotado o prazo. Mas os outros, que li e quero sempre reler, ou que gosto de folhear como quem faz festa num gato de estimação, esses – tsk, tsk, tsk – desculpem os defensores da doutrina, mas não vou liberar não.
@@@
O Bookscrossing.com é um convidativo oceano de livros e assuntos afins, onde se movimentam trocas e doações de livros usados. Há também links para sistemas de publicação facilitada para autores novos ou com pequenos nichos de mercado que os grandes editores rejeitam. Pena que ficam em outros países. Não falamos do site para mostrar quão ruinzinhos somos de transas editoriais, mas porque são modelos possíveis que podem sugerir ou inspirar idéias novas por aqui. Ou até, quem sabe, aceitar originais de autores brasileiros, dentro das condições deles – e das nossas, of course. A propósito, é bom consultar o site Clube de Autores. Ainda não experimentei, mas me pareceu à primeira vista uma iniciativa bem útil, pelas razões acima mencionadas.

13 comentários:

Halem Souza disse...

Dade, pergunto: aqui no Brasil, onde somos tomados de espanto com notícias informando que a "Editora X" comprou a "Editora Y"; ou que a "Editora Z" agora é apenas um selo da "Editora W", há espaço pra esses modelos possíveis que podem sugerir ou inspirar idéias novas? Só tenho visto tubarão engolindo tubarão...

O mercado editorial pode ter certo glamour, mas não é moleza...

Um abraço.

Ana B. disse...

primeiro parágrafo: super concordo
uahahaha

segundo parágrafo: tenho q admitir... tenho mais facilidade em emprestar/doar livros ruins... os bons, empresto com o coração na mão... e ainda assim as vezes esqueço de cobrar o retorno

Ana B. disse...

primeiro parágrafo: super concordo
uahahaha

segundo parágrafo: tenho q admitir... tenho mais facilidade em emprestar/doar livros ruins... os bons, empresto com o coração na mão... e ainda assim as vezes esqueço de cobrar o retorno

Anônimo disse...

Emprestar livro é coisa que eu não faço. Doar, só os que não interessam. Já troquei laguns, quando vejo vantagem nisso (o outro tem um livro que me interessa mais)
Fora disso, eles ficam aqui na estante mesmo :P
Mercado editorial é coisa pra gente cascuda.
Bj
JN

Celso Ramos disse...

Olá Dade!!!
Um dia minha senhora falou assim: "Eu emprestei um livro do Foucault e até hoje a pessoa não me devolveu". O livro; um dos mais importantes deste pensador "as palvras e as coisas". Convenhamos;aqui em casa livro importante você pode consultar sem nenhum problema..agora..não sai daqui de jeito nenhum, principalmente se descubro que a edição está esgotada como descobri a respeito da critica da razão pura(Kant) e Heráclito (Heidegger), que tenho na minha estante com muito carinho!! Isso não é brincadeira, não! "visse"
Aproveito para convidá-la a visitar os trabalhos de meus alunos nos seguintes endereços:
http://savianarte.blogspot.com
http://salgadarte.blogspot.com

Ps. com relação ao video, faz algum tempo que não toco "a véra".(a vida acadêmica suga o sujeito) Tem um video no youtube mas quando coloquei no blog começou a aparecer outros videos que eu não tinha selecionado, resolvi tirar!!!

Graça Pires disse...

O apelo à leitura é sempre bom. Eu sou pela rotatividade dos livros.Não me importo de emprestar desde que mos devolvam.
Um beijo.

Marcelo F. Carvalho disse...

Dade, isto, acredito, vai comigo para o túmulo: não consigo doar livros!
Tem gente que coleciona selos, outros carros... Eu adoro livros, mesmo os que não leio. Acho que decoração mais perfeita não há. hehehe... Sou pecador, fazer o quê?

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga.

Há livros que amamos tanto,
que doá-los
seria como deixar algo de nós partir.
Assim os guardamos
com as nossas histórias,
e nossos momentos
mais preciosos.

Que sempre haja tempo em tua vida,
para cuidar dos sonhos.

Gerana Damulakis disse...

Adoro partilhar etc, mas livro não se empresta. Acabo emprestando, mas não consigo de volta. Hoje, tenho 2 na rua. Vou até anotar para cobrar o retorno dos meus livros. Há situações que nem podemos cobrar, aí o jeito é comprar outra vez.

Maria Teresa disse...

Dade:
Tenho tanto ciúme dos meus livros, que associo isso àquela propaganda de café: uma pessoa oferece um café a outra e fica segurando a xícara com força, sem entregar.
Bjos

nina rizzi disse...

essa página eu ainda não conhecia, na verdade estou um pouco perdida (e me achando) em meios aos teus blogues. gostei, bvem ao estilo que te vi nos rodapés da tribo :)

meu beijo, querida.

Barbara disse...

Só deixando um carinho.
Sem moral estou.
Há 3 meses sem sair de uma página de um livro e pior - amo o autor - todo mundo ama Jorge Amado.
Confessei.
Mea Culpa.

Mari Amorim disse...

Dade,

Excelente semana,com boas energias sempre!
Mari