quinta-feira, 7 de maio de 2009

Blogs, agregadores e o colarinho do chope



Blogs são páginas (ainda) pessoais em que alguém diz o que quer pra quem quiser ler.

Dito isso, fica decretado que todo mundo com acesso à internet pode ter um. Isso teve acima de tudo o efeito de divulgar o trabalho de pessoas que, de outro modo, levariam décadas, talvez toda uma vida, pra se tornarem medianamente conhecidas de públicos específicos, interessados em atualidades, literatura, artes visuais etc. ou do público em geral.

A ideia do “diário virtual”, de que se falava como uma definição do que seria um blog, rapidamente foi ganhando outras nuances, porque nem tudo na blogosfera é diário de adolescentes ou gente sem muito o que fazer na vida – embora isso ainda exista em grande número. Muitos dos usuários desses sites queriam e querem mesmo é botar o blog na rua, mostrar o que sabem fazer, tentar publicar livros, entrar em contato com grupos de seu interesse ou vender produtos. De qualquer modo, os blogs ainda servem como testemunhos dos costumes, crenças e tendências dominantes de uma época. E muitos deles têm objetivos bem úteis, em nosso país pouco dotado no setor de educação e cultura.

Depois do advento dos orkuts da vida, tanto os interesses comerciais como os sociais ganharam outra força e outras ferramentas, mas os blogs subsistem. Acredito que ainda tenham uma vida longa, embora com perfis cada vez mais específicos.



Mas agora chegaram os chamados agregadores. Servem para divulgar gente, notícias, links para divulgação, negociantes de olho vivo nas mídias que podem ajudá-los a vender e uma poeira de estrelas sem muito que fazer além de ficar na onda e ser vista de alguma forma. Parece que não ser visto é o pior opróbrio de nosso tempo, um vexame que ninguém quer sofrer. Não vamos discutir isso, embora me deixe meio grilada, porque não consigo entender por que substituir bem-estar por visibilidade (e notem que nem falo de felicidade, um conceito mais fluido e subjetivo).

Twitter e afins são úteis pra muita gente. Só é preciso saber procurar – como acontece com quase tudo na vida – onde está o que efetivamente interessa, e não o que vai servir de mero fermento para o bolo dos seguidores. Por enquanto, estamos na fase da espuma, o chope sendo tirado do barril, uma certa euforia que respinga em todo mundo e leva a experimentar o novo instrumento de comunicação, mesmo que a rigor não se precise dele para um fim determinado.

Os blogs ficam meio na penumbra. O mecanismo de seguidores, que ora domina os aficcionados, torna menos importante comentar, saber do que um texto realmente trata, e torna a leitura menos importante. Isso é chato, acho que é o lado menos cheiroso dos agregadores, dos quais o comando "seguir" é o braço mais forte. Esperemos baixar o colarinho de nosso chope pra ver como fica.

7 comentários:

milena disse...

Oi, Adelaide, vc sempre com algum texto instigante! Que boa análise sobre os blogs... eu não entrei ainda no twitter nem estou com vontade. Já acho difícil manter um blog e acompanhar bem os poucos que eu leio... É claro que todo mundo quer ser lido, e talvez por isso saiam à cata com tanta voracidade de possíveis leitores... Mas tenho cá pra mim que eu prefiro não ter quase leitores do que ser uma leitora de meia tigela! Enfim, gosto da ideia do blog, mas participar de muitas coisas neste mundo virtual rouba o tempo de outros prazeres, como ler um bom livro, ver um bom filme. Então vou continuar limitada ao meu mundo. Quero ontinuar achando que escrever em blog e ler blogs são momentos de reflexão. E assim tem que ser.

Um beijo.

Mara faturi disse...

MUITO PERTINENTE SEU TEXTO;CONCORDO COM SEU OLHAR;)
*Quanto ao seu comentário lá no per-tempus, sou do Rio, mas Rio Grande Do Sul, infelizmente...Valeu a bela dica, adoraria fazer oficina com ele;)
bjo

Marcelo F. Carvalho disse...

Ainda não sei muito bem para que serve o Twitter... Mas o blogue também não começou assim? Você tem razão. Vamos dar um tempo para o novo e ver se o bebê vai ser professor ou banqueiro!

Prof. Israel Lima disse...

Parabéns pelo belíssimo blog.

Voltarei mais vezes aqui.

Sucesso.

cezarina disse...

Oi,Adelaide!Parabéns pelo seu texto!Muito interessante!Adoro o jeito que vc escreve:concisa,clara e nos prende do início ao fim!Concordo em tudo com vc!Parabéns pelo alto nível do se blog!Adorei!Bjo!

Elza Fraga disse...

Muito bom seu texto. E muito verdadeiro.
Não acredito na corrente que diz que os dias do blog estão contados, acho ainda uma maneira interessante de se mostrar serviço, de se dizer coisas, mesmo que alguns escrevam incoerências, fica valendo o escrito, rsrs.
Já o Twitter é um menino muito mal, só permiti 140 toques, mas as vezes funciona como propaganda para outros espaços, ou "espalhador" de idéias.
Bem, a net tenta inovações pra não morrer de rotina, rsrsrs.
Foi bom ter vindo, achei mais um cantinho de textos interessantes
e antenados.
Gostei e volto, com certeza.
Bitokitas, sucesso e luz.

Elza Fraga disse...

Muito bom seu texto. E muito verdadeiro.
Não acredito na corrente que diz que os dias do blog estão contados, acho ainda uma maneira interessante de se mostrar serviço, de se dizer coisas, mesmo que alguns escrevam incoerências, fica valendo o escrito, rsrs.
Já o Twitter é um menino muito mal, só permiti 140 toques, mas as vezes funciona como propaganda para outros espaços, ou "espalhador" de idéias.
Bem, a net tenta inovações pra não morrer de rotina, rsrsrs.
Foi bom ter vindo, achei mais um cantinho de textos interessantes
e antenados.
Gostei e volto, com certeza.
Bitokitas, sucesso e luz.